Páginas

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

MUDANÇA NO TRAÇADO DO RODOANEL

Por José Luiz Guimarães*

A Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S/A) anunciou na semana passada alterações no traçado do trecho norte do Rodoanel, o que reduzirá significativamente o número de imóveis desapropriados na Vila União. A notícia foi recebida com muita alegria pelas mais de 400 famílias que seriam afetadas pela obra. A mudança foi mais uma vitória da população durante o processo de elaboração do projeto. Em maio, a Dersa já havia divulgado uma alteração que poupou outras duas mil famílias no Jardim dos Cardosos e Siqueira Bueno, no bairro do Cabuçu.

A participação e mobilização dos moradores das áreas atingidas foram fundamentais para sensibilizar a opinião pública e pressionar o Governo Estadual a rever seu plano inicial. Nos últimos meses, foram dezenas de reuniões, audiências publicas e manifestações, além de uma passeata na avenida Paulista, que expuseram publicamente a falta de diálogo com a antiga direção da Dersa.

Também pesou favoravelmente a ação da Prefeitura de Guarulhos, que desde o início das discussões defendeu o município dos impactos sociais e ambientais do antigo traçado, deixando claro ao Governo Estadual que não queria transformar a o debate em torno do projeto em uma disputa política. Nesse ponto, vale destacar a atuação do prefeito Sebastião Almeida, que soube dialogar pacientemente com a Dersa, a Câmara Municipal e a população na busca por uma solução dos problemas.

Os deputados estaduais Alencar Santana e Luiz Marcolino e a deputada federal Janete Pietá não mediram esforços em defesa dos moradores e colocaram seus mandatos à disposição desde o início. Em muitos momentos, trabalharam silenciosamente, longe dos holofotes, ao contrário de outros parlamentares, oportunistas, que tentaram a todo custo pegar carona no empreendimento.

Em Guarulhos, não posso deixar de citar os colegas Edmilson Souza e Luiza Cordeiro, que sempre estiveram ao meu lado nessa caminhada para preservar a Vila União. Bem diferente de alguns colegas da oposição, que até a semana passada diziam aos moradores ser impossível mexer no projeto do Rodoanel.

A mobilização dos moradores da Vila União foi exemplar, mas nossa luta ainda está longe do fim. Agora devemos acompanhar com atenção o futuro decreto de desapropriação da obra, para compreender sua extensão e os seus limites, e depois negociar melhorias e medidas compensatórias para amenizar os impactos da obra em toda a cidade. Já provamos que temos força para isso.

José Luiz Guimarães é vereador e líder do Governo na Câmara Municipal

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Trabalho voluntário

Por José Luiz Guimarães*
No último domingo (28), foi comemorado o Dia Nacional do Voluntário. De acordo com a ONU (Organização das Nações Unidas), voluntário é aquele que dedica parte do seu tempo a diversas formas de atividade de bem estar social, sem remuneração. Aqui no Brasil já temos o costume de ser solidários, atendendo a chamados para doações de alimentos, remédios ou roupas, especialmente em momentos de tragédia. Mais recentemente, tem crescido também nossa participação em projetos que envolvem o trabalho voluntário, uma iniciativa relevante não somente pelo seu caráter de solidariedade, mas também pelos aspectos humanitários e fraternos.

Guarulhos está cheia de pessoas que caminham nessa direção. Há alguns anos acompanho o trabalho da Capelania Evangélica Hospitalar, que leva sempre uma palavra de conforto e esperança a pacientes fragilizados e seus familiares. Entre outras atividades, realizam oficinas de artesanato e trabalhos terapêuticos com pacientes, médicos e funcionários de hospitais, trabalho que diminui as tensões do ambiente hospitalar por meio de apoio espiritual e psicológico. Desta forma, seus voluntários têm contribuído para melhorar o ambiente no Hospital Municipal da Criança e também no Hospital Municipal de Urgências, o HMU.

O Fundo Social de Solidariedade é outra entidade que reúne muitas pessoas interessadas em fazer o bem pelo outro. Lá, entre tantos exemplos, há a turma das terapias naturais, que aplica massagens, acupuntura e outras técnicas de cura da medicina alternativa. O tratamento é destinado a quem necessita dessas técnicas e o atendimento é sempre feito sorriso no rosto e muito bom humor. Além de assistirem seus pacientes na busca pela cura, quebram o paradigma de que apenas a medicina tradicional tem o poder e capacidade de solucionar as enfermidades.

Outro exemplo é o belo trabalho dos voluntários das pastorais da criança, que percorrem incansavelmente as favelas para cuidar da saúde das nossas crianças – sem falar nos voluntários dos centros espíritas, que caminham pelas madrugadas confortando e alimentando indivíduos desafortunados que vivem no mundo das ruas.

Fico muito orgulhoso com a existência desses e de outros projetos que reúnem pessoas em prol de seus próximos, sendo alguns com o apoio das nossas igrejas e instituições religiosas. Essa é mais uma prova de que nosso País não é o mar de lama que muitos apregoam por aí. Hoje o Brasil também dá ao mundo belas lições de fraternidade e solidariedade. E nossa cidade não fica atrás.

* José Luiz Guimarães é vereador e líder do Governo na Câmara Municipal