quarta-feira, 30 de setembro de 2009

NÃO QUEREMOS RODEIOS EM GUARULHOS



ASSINE O ABAIXO-ASSINADO CONTRA A VOLTA DOS RODEIOS EM GUARULHOS
www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/5081
PARTICIPE DA AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE OS RODEIOS EM GUARULHOS
DIA: 07/10/09 (quarta-feira) às 10:00 horas
LOCAL: CÂMARA MUNICIPAL DE GUARULHOS
Rua João Gonçalves, 598 - Centro - Guarulhos - SP
Informações: (11) 2441-5365

VEJAM ESSES VÍDEOS DE MAUS TRATOS AOS ANIMAIS EM RODEIOS NO BRASIL
video

video

LEI MUNICIPAL 6.033/04 DE AUTORIA DO VEREADOR ZÉ LUIZ

ART. 26 - É proibido o ingresso, a permanência ou o funcionamento no Município de formas de espetáculos que envolvam a utilização de animais, tais como, circos, rodeios, vaquejadas, cavalhadas e outras.

No link abaixo está a íntegra da LEI 6.033/04 de controle de zoonoses e bem-estar animal.

http://www.guarulhos.sp.gov.br/06_prefeitura/leis/leis_download/06033lei.pdf

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

GUARULHOS CRIA O DIA MUNICIPAL SEM CARRO

O Projeto de Lei nº 009/07 de autoria do Verador Zé Luiz, que cria o Dia Municipal sem Carro, foi aprovado pela Câmara Municipal de Guarulhos.
Acesse o link e veja o vídeo da JOVEM PAN
Abaixo está a matéria que saiu no blog trânsito e cidade

sexta-feira, 17 de julho de 2009

INFORMATIVO SOBRE O BILHETE ÚNICO

Em agosto o Prefeito Almeida irá reapresentar o Projeto do Bilhete Único, e a nossa mobilização a favor do projeto é muito importante. Por isso, assine e divulgue o ABAIXO ASSINADO VIRTUAL de apoio a implantação do Bilhete Único em Guarulhos.

(Obs. Para validar a sua assinatura é obrigatório informar o nome completo, e-mail e número do R.G.; os outros dados são opcionais.

Visite todos os companheiros e companheiras, familiares e amigos, explicando a necessidade de termos o Bilhete Único em nossa cidade.


quinta-feira, 18 de junho de 2009

ESPECIALISTA EM DIREITO ELOGIA PROJETO DO VEREADOR ZÉ LUIZ

A advogada Sylvia Mendonça do Amaral é um ótimo exemplo de militante de causa alheia. Casada e mãe de um filho, é uma ardorosa defensora dos direitos dos homossexuais, mesmo não sendo. Advogada especialista em Direito Homoafetivo, Família e Sucessões, é autora do livro Manual Prático dos Direitos de Homossexuais e Transexuais.
Em recente artigo, intitulado “Parada Gay, caminho longo a percorrer” a Dra. Sylvia do Amaral elogia o Vereador Zé Luiz por apresentar o Projeto de Lei que cria o Dia Municipal de combate a homofobia. Ela diz: “É necessário um maior engajamento e uma participação mais efetiva da sociedade, como ocorre em Guarulhos, a segunda maior cidade do Estado de São Paulo, onde o vereador José Luiz Ferreira Guimarães, o Zé Luiz, apresentou à Câmara Municipal um projeto de lei propondo a criação do “dia municipal contra a homofobia”, em 17 de maio, com a obrigatoriedade de realização de atividades públicas a favor da livre orientação sexual.
Para ler o artigo completo acesse: www.smma.adv.br/artigos/art_civil_23.asp

COMBATE A HOMOFOBIA SERÁ DEBATIDO NA CÂMARA

Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia Estatística) apontam que o Brasil tem hoje cerca de 17 mil casais homossexuais, de uma população de cerca de 189,6 milhões de habitantes. Esse, entretanto, pode não ser o número exato de homossexuais no País. Isso porque esse público enfrenta em alta escala preconceito e discriminação por boa parte da sociedade, o que os faz omitir sua opção sexual. O combate à homofobia tem sido incentivado por diversas ações. A mais representativa é a Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, que será realizada hoje na capital.

Entidades de classe, associação ligadas à defesa dos direitos humanos e até parlamentares também vem estimulando o combate à homofobia. O assunto, por exemplo, deve entrar na pauta da Câmara ainda esta semana. Assinado pelo vereador José Luiz Ferreira Guimarães (PT), o projeto que Institui o "Dia Municipal de Combate à Homofobia", a ser fixado em 17 de maio, tem como objetivo promover o direito à livre orientação sexual e incentivar ações que proporcionem a discussão sobre o tema.

"Essa é uma data que deve marcar a luta contra os preconceitos e as manifestações de violência decorrentes da orientação sexual de cada um", observou o Guimarães. "O dia de combate à homofobia já foi instituído em algumas cidades. É importante que todos os setores da sociedade estejam envolvidos nessa discussão para minimizar cada vez mais o preconceito", acrescentou o vereador.

Homossexual assumido, Genivaldo Espíndola, presidente do Mel Movimento em Defesa da livre Orientação Sexual, afirmou que a falta de esclarecimento por parte da população contribui para as manifestações de violência. "A cidade está abrindo os olhos para uma realidade natural e caminhando para deixar de ser homofóbica. Tenho certeza que a abertura para esse debate proporcionará reflexos positivos na vida de todos nós, que hoje somos discriminados e até agredidos por conta de nossa opção sexual", avaliou o presidente do Mel, responsável pela 4ª edição da Parada Gay de Guarulhos, que será realizada no próximo dia 28, com saída da Avenida Esperança, 720, no Centro, sob o mote "Derrubando muros, construindo pontes. Quem valoriza a vida criminaliza a homofobia."

O vereador defende a igualdade dos direitos para esse público em todas as esferas. "Considero importante, por exemplo, que haja um representante da classe homossexual no Legislativo, que tem representantes do setor da saúde, comércio, bancário, além dos próprios líderes de bairro", disse Guimarães. O vereador disse que está analisando a possibilidade de apresentar emenda ao orçamento do próximo ano para a promoção da Parada Gay de Guarulhos.

Reportagem de Juliana de Brito Soares – Jornal Folha Metropolitana – 14/06/2009 – pág. 3

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Entrevista na Rádio Jovem Pan

Guarulhos e a campanha contra Sindrome do Pânico

Segundo maior municipio de São Paulo terá semana dedicada à concientização e prevenção da Sindrome

O municipio de Guarulhos, segundo maior do Estado de São Paulo, saiu na frente na busca pelo bem-estar da população. Acaba de ser aprovado, pela Câmara Municipal de Guarulhos, um projeto de lei que institui a Campanha Municipal de Prevenção e Conscientização da Síndrome ou Transtorno do Pânico. De acordo com o projeto de autoria do Vereador Zé Luiz Guimarães, a Campanha de Prevenção à Sindrome do Pânico será realizada anualmente, na última semana de outubro e fará parte do calendário oficial de eventos do municipio.

A repórter Simone Manochio conversou com o vereador Zé Luiz Guimarães do PT e tem outros detalhes. OUÇA A ENTREVISTA.

A entrevista foi ao ar no dia 24/04/2009 no Programa Rádio Ao Vivo na Rádio Jovem Pan.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Uma economia que custa caro

Mais que uma necessidade para a preservação do planeta, o controle da poluição do ar já se configura como uma questão de saúde pública. É cada vez maior a faixa da população que tem na poluição o gatilho que dispara problemas respiratórios e manifestações alérgicas as mais diversas. Em uma cidade do porte de Guarulhos, inserida na maior região metropolitana do País, já é tempo de começarmos a pensar em políticas públicas que ajudem a amenizar o problema.
Segundo os especialistas, a maior fonte poluidora do ar são as emissões veiculares. Nesse aspecto, o controle mais significativo dessa poluição se dá pelo cumprimento das normas nacionais para a fabricação de veículos cada dia mais eficientes. No caso da nossa vizinha São Paulo, que possui a maior frota de carros do País, a cidade já adota o rodízio de veículos e um programa de inspeção para reduzir a poluição em todo o seu sistema de transporte.
No entanto, não há registro de nenhum controle específico sobre a emissão de poluição por parte dos grupos geradores de energia movidos a diesel. Com um parque industrial tão amplo e grande número de empresas nos setores de comércio e serviços, Guarulhos pode dar o exemplo para São Paulo e toda a região metropolitana iniciando um programa de controle dessas emissões.
Hoje, a autoprodução energética é adotada por indústrias, comércios, redes hoteleiras, hospitais, shoppings centers, hipermercados e condomínios, entre outros grandes consumidores que recorrem a geradores como forma de reduzir a conta da energia elétrica nos horários de pico (das 17h às 20h), quando as tarifas são mais caras.
O problema dessa economia financeira é o alto custo ambiental: os geradores a diesel constituem uma fonte considerável de poluição atmosférica. Recente estudo da engenheira Márcia Aparecida Tezan Moraes Barros, que pesquisou o tema no Instituto de Eletrotécnica e Energia da USP, os geradores emitem os mesmos poluentes dos motores de veículos a diesel, inclusive os de maior impacto na qualidade do ar, como óxidos de nitrogênio, óxidos de enxofre, dióxido de carbono, monóxido de carbono e material particulado.
Está na hora de nos preocuparmos em minorar essas emissões, seja pela substituição do diesel por um combustível limpo, seja pela exigência de adequação dos equipamentos às novas tecnologias, já adotadas pela indústria automobilística mundial.
Assim como a poluição não respeita fronteiras, as políticas públicas voltadas ao meio ambiente e à sustentabilidade – principalmente quando dizem respeito à saúde das pessoas - também não podem ser delineadas de maneira isolada. Eis aí uma iniciativa que pode e deve ser adotada por todas as cidades que compõem a região metropolitana de São Paulo.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Hoje faz 45 anos do golpe de 1964

Há 45 anos, teve início um dos períodos mais tenebrosos da história do nosso país: o golpe militar de 1964. Foram 21 anos de uma ditadura que alguns, hoje, ousam chamar de "ditabranda". Um regime que acabou com as liberdades políticas e calou à força os que dele discordavam, deixando um rastro de violência, tortura e morte. Bom, ainda há quem negue o holocausto de judeus pela Alemanha nazista...
Como historiador e filiado a um partido político que incluiu, em sua origem, exilados e outras vítimas da repressão militar daquele período, creio que não devemos jamais deixar passar em branco uma data como essa. É importante relembrar, para que a memória não suavize os horrores de um regime de exceção.
Mas, que data devemos lembrar? Os militares preferiram adotar 31 de março "assinalado nos livros de História dos coronéis como o dia da "revolução" "para fugir ao deboche do 1° de abril, apesar de o golpe ter se efetivado mesmo no dia da mentira. A "mudança" dá uma ideia da mentalidade de um regime que teve a censura como seu pilar de sustentação e para o qual o golpe de Estado teria sido, na verdade, uma "revolução" anticomunista. Nessa mesma toada, há quem veja o "lado positivo" da ditadura, alegando que os militares promoveram o chamado "milagre econômico" e colocaram o Brasil entre as maiores economias do mundo. Esses se esquecem da herança deixada pelo regime militar: uma dívida externa gigantesca e índices inflacionários que gradativamente fugiram ao controle, atingindo patamares inconcebíveis. A teoria econômica militar era simples e rasteira: primeiro, fazer o bolo crescer, para depois repartir. Tudo funcionou enquanto havia crédito internacional barato. Quando o crédito murchou, a máscara do "milagre" caiu. E o resultado foi um grande empobrecimento da população e a terrível concentração de renda, que gerou "e ainda gera "consequências funestas para a sociedade. Somente nos últimos anos o Brasil começou a reverter essa lógica perversa, segundo a qual o desenvolvimento de uma sociedade se mede pelos índices econômicos e não pela qualidade de vida real do povo.
Nesse 45° aniversário do Golpe Militar, uma das lições que podem ser extraídas é que muitas versões não resistem aos fatos. A atual estabilidade econômica e social foi fruto da democracia e da luta de toda uma geração. Não devemos esquecer jamais.

JOSÉ LUIZ GUIMARÃES é vereador do PT e líder do governo na Câmara de Guarulhos.

terça-feira, 3 de março de 2009

Prazo para regularização de listas de filiados do PT termina no dia 13 de março

A Direção Nacional do PT aprovou em junho de 2008 um recadastramento dos filiados cujos nomes constam nos Cartórios Eleitorais e não constam no cadastro do partido, que é o oficial.
O prazo final para o recadastramento é 13 de março. Após essa data, todo petista nesta condição que não tiver regularizado sua situação terá sua filiação cancelada e seu nome excluído da lista a ser encaminhada ao cartório em abril de 2009.
Em contrapartida, aqueles que fizerem o recadastramento poderão votar e ser votados no PED 2009, pois a data de filiação a ser considerada será aquela constante no Cartório Eleitoral.
São aproximadamente 460 mil pessoas que estão nesta situação em todo o país, incluindo 59 prefeitos e 949 vereadores eleitos em 2008.
A relação dos filiados que não constam do Cadastro Nacional do partido já foi encaminhada a todos os diretórios e pode ser visualizada no link abaixo do Diretório Nacional do PT.
Clique no link abaixo

http://www.pt.org.br/portalpt/index.php?option=com_content&task=view&id=74478&Itemid=195